qualidade de vida, saúde

AIDS, Se previne com informação e segurança

No dia 1.º de dezembro é celebrado o Dia Mundial contra a Aids. Durante todo o mês, oficializado desde 2017 como Dezembro Vermelho, pessoas e instituições públicas e privadas de todas as partes do país se mobilizam pela conscientização, assistência e proteção contra os riscos de disseminação da Aids e IST (infecções sexualmente transmissíveis).

Este ano, o Via Saúde retoma esse tema para alertar a respeito da importância da prevenção no combate a essa doença.

A Aids não tem cura, não tem grupo de risco, não manda recado. Quem se ama, se cuida sempre. E nesse cuidado, o uso de preservativo não é opcional.

HIV. UM VÍRUS, MUITAS PREOCUPAÇÕES

O vírus HIV, que transmite a Aids, ataca diretamente o sistema imunológico, destruindo as defesas do organismo. Sem resistência, o corpo fica exposto às ações de agentes como bactérias, vírus e parasitas ou à proliferação de células cancerígenas.

Com o organismo debilitado, mesmo as doenças infecciosas mais comuns e simples de serem tratadas podem levar a graves consequências. O Ministério da Saúde e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) alertam que a cada 15 minutos uma pessoa se infecta com o vírus da Aids no Brasil. Só no Estado de São Paulo, 7 pessoas morrem por dia vítimas das complicações geradas pelo HIV.

E aqui vale reforçar sobre o perigo do aumento da resistência do vírus HIV aos medicamentos. Não podemos fechar os olhos para essa realidade.

A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 40% dos portadores do HIV desconhecem que têm o vírus e não dão início ao tratamento com os medicamentos antirretrovirais, que podem impedir a transmissão para outros indivíduos. Entre as pessoas que fazem o autoteste anti-HIV, 30% são homens e 70% mulheres.

O diagnóstico precoce aumenta a qualidade e a expectativa de vida do portador do vírus da Aids que busca tratamento na hora certa.

O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito a partir da coleta de sangue ou por fluido oral. No Brasil, existem os exames laboratoriais e os testes rápidos, que detectam os anticorpos contra o HIV em cerca de 30 minutos. Esses testes são realizados gratuitamente e de forma anônima pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nas unidades da rede pública e nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).

PRINCIPAIS FATORES DE RISCO, SINTOMAS E CUIDADOS

O HIV é transmitido principalmente por meio de relações sexuais. Em alguns casos, o vírus passa da mãe para o bebê durante a gestação, pelo compartilhamento de seringas infectadas ou em situações muito raras, por transfusões de sangue.

Cuide-se:

  • Use sempre preservativo;
  • Faça exames regulares e exija o mesmo de seu parceiro;
  • Nunca reutilize seringas ou objetos cortantes que possam estar contaminados de sangue;
  • Tenha uma alimentação saudável;
  • Mantenha as vacinas em dia;
  • Evite o consumo de álcool e tabaco.

Sintomas:

  • Emagrecimento não intencional;
  • Fadiga;
  • Aumento dos linfonodos, ou ínguas;
  • Sudorese noturna;
  • Calafrios;
  • Febre superior a 38ºC durante várias semanas;
  • Diarreia crônica;
  • Manchas brancas ou lesões incomuns na língua ou boca;
  • Dores de cabeça;
  • Fadiga persistente e inexplicável;
  • Visão turva e/ou distorcida;
  • Erupções cutâneas e/ou inchaços.

Em caso de dúvida, busque sempre a orientação de um médico especialista.

Abraço, carinho e atenção não transmitem Aids. Muito pelo contrário, é o apoio que fortalece e ajuda a enfrentar todos os obstáculos.

Nunca deixe que o medo, o preconceito ou a desinformação coloquem a sua saúde e a de quem você ama em risco. A sua consciência sobre o assunto e a atitude segura são suas principais defesas. Nunca abra mão de se proteger.

Deixe uma resposta